SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 número1As máscaras de Baltasar da Costa: imitatio e accommodatio na missão de Madurai (século XVII)No género de construções cafreais: o hospital-palhota como projecto colonial índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Etnográfica

versão impressa ISSN 0873-6561

Resumo

ROQUE, Ricardo. Seria preciso que a selvageria se me pegasse: Afonso de Castro e a “festa das cabeças” em Timor colonial. Etnográfica [online]. 2014, vol.18, n.1, pp.159-184. ISSN 0873-6561.

Neste artigo investigo as transações coloniais entre “civilização” e “barbárie” através da análise da controvérsia sobre a participação do governador de Timor, Afonso de Castro, na chamada “festa das cabeças”, cerimónia associada à celebração de vitórias guerreiras e decapitação de inimigos em Timor Leste, em 1861. Exploro de uma perspetiva dupla, interligada, o mimetismo colonial do governador nesta “selvajaria” ritual. Por um lado, abordo o mimetismo enquanto relação vivida com o espaço envolvente, um modo prático de entrega do sujeito às circunstâncias do rito, marcado pela tensão entre a assimilação ao meio e a demarcação da diferença. Por outro lado, concebo-o enquanto relação inscrita numa racionalidade política de tipo parasitário, com vista à governação colonial. Por conseguinte, argumento que o mimetismo colonial encontra no parasitismo a expressão da sua produtividade política.

Palavras-chave : mimetismo; parasitismo; lorosa’e; caça de cabeças; colonialismo português; Timor-Leste.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons