SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número4Memória de cuidados na infância, estilo de vinculação e qualidade da relação com pessoas significativas: Estudo com grávidas adolescentesAlgumas notas acerca da consulta de psicologia clínica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Análise Psicológica

versão impressa ISSN 0870-8231

Aná. Psicológica v.22 n.4 Lisboa out. 2004

 

Prevalência de sintomas depressivos em adolescentes portugueses (*)

PAULO CARDOSO (**)

CONCEIÇÃO RODRIGUES (***)

ANITA VILAR (****)

 

RESUMO

Esta investigação teve como objectivo principal caracterizar a prevalência de sintomas depressivos em adolescentes que frequentam escolas secundárias do concelho de Palmela. Aplicou-se a versão portuguesa do Inventário de Depressão para Crianças (CDI) a uma amostra de 570 jovens entre os 12 e os 17 anos. Fizeram-se estudos das características psicométricas do inventário, cálculo da percentagem de sujeitos considerados em sofrimento psicológico (amostra total e subamostras) e estudos sobre o efeito preditivo das variáveis critério relativamente aos resultados no CDI. Neste artigo, discutem-se os resultados do estudo, suas implicações práticas e limitações.

Palavras-chave: Epidemiologia, adolescentes, prevalência, sintomas depressivos.

 

ABSTRACT

The main objective of this research was to characterise the prevalence of depressive symptoms among adolescents attending secondary schools in the district of Palmela. The Portuguese version of the Children Depression Inventory (CDI) was applied to a sample of 570 teenagers, ranging from 12 to 17 years of age. The psychometric characteristics of the Inventory were studied, the percentage of individuals in psychological distress was determined (total sample and sub sample) and studies on the predictive effect of criteria variables relating the results in the CDI were also made. The results of the study, its practical implications and limitations are here discussed.

Key words: Epidemiology, adolescents, prevalence, depressive symptoms.

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS

Cota, A. A., Longman, R. S., Holden, R. R., Fekken, G. C., & Xinaris, S. (1993). Interpolating 95th percentile eigenvalues from data: an empirical example. Educational and Psychological Measurement, 53, 585-595.         [ Links ]

Coyne, C. C. (1994). Self-reported stress: analog or ersatz depression?. Psychological Bulletin, 116 (1), 29-45.         [ Links ]

Costa e Silva, E. (2003). Vício "cura" depressão. Diário de Notícias, 10 Agosto.         [ Links ]

Ferguson, G. A., & Takane, Y. (1989). Statistical analyisis in psychology and education. New York: McGraw Hill.         [ Links ]

Ferreira Marques, J. (1995). The portuguese Work Importance Study. In D. E. Super, & B. Sverko (Eds.), Life Roles, Values, and Careers. International Findings of the Work Importance Study (pp. 181-187). San Francisco: Jossey Bass.         [ Links ]

Gorenstein, C., Andrade, L., Filho, A. H. G. V., Tung, T. C., & Artes, R. (1999). Psychometric propertiesof the POrtuguese version of the Beck Depression Inventory on Brazilian college students. Journal of Clinical Psychology, 55 (5), 553-562.         [ Links ]

Kaslow, N. J., & Wambold, F. S. (1985). Childhood Depression: current perspectives and future directions. Journal of Social and Clinical Psychology, 3 (4), 416-424.         [ Links ]

Klein, D. N., & Santiago, N. J. (2003). Dysthimia and chronic depression: introduction, classification, risk factors, and course. Journal of Clinical Psychology, 59 (8), 807-816.         [ Links ]

Kovacs, M. (1985). The Children's Depression Inventory (CDI). Psychpharmacology Bulletin, 21 (4), 995-998.         [ Links ]

Kovacs, M., & Beck, A. T. (1977). An empirical clinical approach towards a definition of childhood depression. In J. G. Sculterbrandt, & A. Raskin (Eds.), Depression in childhood: Diagnosis, treatment, and conceptual models. New York: Raven Press.         [ Links ]

Marujo, H. M. A. (1994). Síndromas depressivos na infância e na adolescência. Dissertação de doutoramento. Lisboa: Universidade de Lisboa.         [ Links ]

Monteiro, C. M., & Fonseca, A. C. (1998). Problemas emocionais na adolescência e juventude: O ponto de vista dos alunos e professores. Revista Portuguesa de Pedagogia, 32 (2), 187-208.         [ Links ]

McKendree-Smith, N. L., Floyd, M., & Scogin, F. (2003). Self-Administraded treatments for depression: a review. Journal of Clinical Psychology, 59 (3), 275-288.         [ Links ]

Mufson, L., Moreau, D., Wiessman, M. M., & Klerman, G. L. (1993). Interpersonal psychotherapy for depressed adolescents. New York: Guilford.         [ Links ]

Simões, M. (1999). A depressão em crianças e adolescentes: elementos para a sua avaliação e diagnóstico. Psychologica, 21, 27-64.         [ Links ]

 

 

(*) Os autores agradecem à Prof. Dra. Helena Marujo, ao Dr. Rui Campos e ao Dr. Carlos Catalão pelos comentários a versões prévias deste artigo. Este artigo foi apresentado nas suas linhas gerais, no V Simpósio Nacional de Investigação em Psicologia, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 16-18 de Outubro de 2003. Correspondência relativa a este trabalho deverá ser endereçada a Paulo Cardoso - pmsc@uevora.pt

(**) Departamento de Psicologia, Universidade de Évora.

(***) Centro de Saúde de Palmela.

(****) Departamento de Psiquiatria, Hospital Distrital de Setúbal.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons