SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 suppl.2Derrame pleural numa população pediátricaDesenvolvimento psicomotor de crianças prétermo em idade pré-escolar índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Nascer e Crescer

versão impressa ISSN 0872-0754

Nascer e Crescer vol.24  supl.2 Porto dez. 2015

 

RESUMO DAS COMUNICAÇÕES ORAIS / ORAL PRESENTATIONS - ABSTRACTS

 

CO_09

Ecocardiografia fetal e sua acuidade diagnóstica – cmin 2014

 

 

Inês Alencoão1, Gonçalo Inocêncio1, Maria José Mendes1, Ana Guedes2, Elisa Proença2, Mariana Magalhães3, Sílvia Álvares3, Maria do Céu Rodrigues1, Jorge Braga1

1  Centro de Diagnóstico Pré-Natal, Centro Materno Infantil do Norte, Centro Hospitalar do Porto
2 Serviço de Neonatologia, Centro Materno Infantil do Norte, Centro Hospitalar do Porto
3 Serviço de Cardiologia Pediátrica, Centro Materno Infantil do Norte, Centro Hospitalar do Porto

 

 

Introdução: As cardiopatias congénitas (CC) são as malformações fetais mais comuns, com uma incidência de 5 a 10 por 1000 nados vivos, associando-se a significativa morbimortalidade. O diagnóstico pré-natal destas anomalias através da ecocardiografia fetal permite aos pais obter informação prognóstica e de tratamento previamente ao nascimento e aos profissionais planear a atuação obstétrica e pós-natal mais adequadas.

Objectivos: Analisar a incidência de CC nos fetos e recém-nascidos da nossa instituição durante o ano de 2014. Analisar a sensibilidade e especificidade da ecocardiografia fetal no diagnóstico de CC.

Metodologia: Foram avaliadas as ecocardiografias fetais e neonatais realizadas durante o ano de 2014 na nossa instituição. Em cada caso, foi analisada a indicação para a realização deste exame, os diagnósticos pré e pós-natais.

Resultados: Foram realizadas 877 ecocardiografias fetais em 657 grávidas durante o ano de 2014, tendo sido referenciados 157 casos para avaliação pós-natal.

A principal indicação para a realização de ecocardiografia fetal foi avaliação cardíaca tecnicamente difícil na ecografia obstétrica, seguida de suspeita de anomalia cardíaca.

Registaram-se 39 casos de suspeita pré-natal de anomalia cardíaca, entre estes, 24 falsos positivos. As CC detectadas foram 15: comunicação interventricular (CIV) (3), anomalias do arco aórtico (4, incluindo 1 caso de coarctação da aorta), truncus arteriosus (1), transposição dos grandes vasos (1), estenose valvular pulmonar (2) e outras (4). Os falsos positivos corresponderam a CIV (14) (idade gestacional ao diagnóstico 28-36 semanas) e suspeita de anomalias do arco aórtico (4), sendo os restantes alterações minor. Houve ainda 4 casos falsos negativos (CIVs, um destes com comunicação interauricular tipo ostium primum associada).

Neste período foram diagnosticadas 55 CC em 2850 nados vivos, correspondendo a uma incidência global de 19.3‰.

A sensibilidade da ecocardiografia fetal foi 78.9% e a sua especificidade 96%.

Conclusão: A detecção pré-natal de CC mantém-se um dos maiores desafios em DPN. A ecocardiografia fetal registou elevada sensibilidade e especificidade. Os falsos negativos encontrados corresponderam a CC simples.

A elevada incidência de CC poderá ser explicada por constituirmos um centro de referência materno-infantil de alto risco. A ecocardiografia fetal é fundamental no diagnóstico pré-natal de CC, permitindo o aconselhamento ao casal e a orientação e planeamento dos cuidados perinatais.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons